quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

AdVenture Capitalist



Esse jogo é antigo, mas só recentemente descobri o seu potencial escapista quando ele me foi muito útil para me distrair das provas de finais de semestre e me relaxar.


AdVenture Capitalist é um jogo clicker que te coloca no papel de um investidor de risco, ou seja, o cara que coloca dinheiro na empresa e está apenas interessado no retorno financeiro desse dinheiro, sem se ocupar das funções administrativas e outros detalhes que mais dão dor de cabeça do que retorno financeiro. Você começa investindo numa “empresa de limões” e a cada clique em cima dos limões, você ganha mais dinheiro. Com uma quantidade ideal, pode contratar um gerente para clicar nos limões para você, automatizando o processo de ganhar dinheiro e assim você progride no jogo, ganhando cada vez mais dinheiro, comprando novas empresas e contratando novos gerentes. Com as novas atualizações, nem o céu é um limite, pois você pode investir até fora da Terra.

O jogo é muito interessante ao trazer de forma criativa a realidade dos investidores de risco, adaptando nomenclaturas próprias da profissão para o game, como o próprio nome: investidor de risco é “venture capitalist” em inglês. Também temos o exemplo dos anjos, adaptando a função do investidor anjo ao universo do jogo.

Como um clicker, ele se torna enfadonho logo, mas a função dos gerentes mantém a longevidade do game, pois você não tem que ficar clicando num botão até o seu dedo cair pra avançar nele. A constituição do game, com muitas coisas para fazer, também mantém a jogatina ativa por muitas semanas. Infelizmente, quanto mais você avança, mais difícil vão ficando os objetivos e aí você tem que ficar com o jogo fechado por algumas horas antes de continuar sua progressão no game (nada que uma noite de sono com o celular carregando não resolva).

O jogo segue um estilo minimalista, com poucas telas e nenhuma delas apresenta animações de destaque, ainda assim consegue ser um jogo bonito, com desenhos cartunescos, coloridos e bonitos, mostrando o seu personagem avançando no game. Há poucas formas de customização, mas sua falta não chega a incomodar, pois o objetivo principal é avançar na obtenção de empresas mesmo.

Enfim, AdVenture Capitalist é um jogo que consegue se manter ativo, mesmo após anos do seu lançamento, muito divertido, simples e elaborado de forma que sua jogatina não se torne excessivamente enfadonha.


sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Fita de Ouro 2017

   É com grande honra que venho por meio deste post divulgar os grandes vencedores da Fita de Ouro do Troféu Locadora de 2017.


terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Troféu Locadora 2017



   Chegou a hora do primeiro Troféu Locadora que dará a "Fita de Ouro" para os melhores (ou piores) jogos de cada uma das categorias selecionadas por nossos especialistas. E sabe quem vai escolher o vencedor? São vocês! Vote aqui em baixo nas categorias mais inusitadas que conseguimos pensar.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Podcast Locadora #53 - Nossos melhores em 2017

   No podcast de hoje, comentamos os melhores jogos que jogamos nesse ano, que foi um dos melhores anos para a indústria em bastante tempo. Comente ai quais foram os seus melhores do ano também.

   Se preferir, baixe a versão em mp3
   Ou assine o nosso feed: http://feeds.feedburner.com/PodcastLocadoraTV

   Envie seu e-mail para: locadoratv@gmail.com

   Sobre o programa:

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Snakes vs Blocks



Hoje temos uma dica nostálgica, um jogo que lembra muito o clássico jogo da cobrinha dos celulares Nokia que nunca quebraram, no entanto, aliando matemática ao jogo.


Em “Snake vs. Block” ficamos no controle de uma cobra formada por blocos circulares que corre por um cenário infinito em que surge basicamente dois obstáculos interativos, os blocos e as comidas. As comidas, obviamente, dão mais blocos à cobra, aumentando o seu tamanho e os blocos são objetos que a cobra deve quebrar, mas é neles que se encontra o charme do game.

Cada bloco contém um número, que corresponde ao número de blocos da sua cobra que serão tomados quando você os atingir. Por exemplo, se você encontrar um bloco com o número 5 precisará de ao menos 6 pontos para poder continuar o jogo. Se estiver com menos, perderá todos os pontos e, consequentemente, o jogo.

Confesso que não é um jogo fácil, muito pelo contrário, ele é bem desequilibrado, na verdade, pois bem no início do game você já encontra blocos com números muito grandes para que a cobra que controla possa quebrar e a movimentação não é tão fluida quanto se esperaria.

Pra compensar e manter a atenção dos jogadores, o game explora a adaptação do game, podendo mudar o design da sua cobra, através de pontos que você conquista ao longo de cada jogatina e completando desafios.

É um jogo simples, mas é também divertido, embora não tanto quanto o seu potencial indica. De qualquer forma, vale a pena o download.


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Dune



Continuando a onda de reviews mobile de final de ano, trago-lhes um jogo que não tem fim, mas conseguiu me atrair.

“Dune” é um jogo simples, minimalista e que nos apresenta um simples objetivo, mover uma boal através de um deserto jogando-a para o céu o mais alto possível a fim de marcar pontos.

É uma premissa simples e que compactua com o visual, também simples do jogo, porém tanto o visual quanto a jogabilidade do game se tornam belas, mesmo com tanta simplicidade.

Movemos a bola para cima e para baixo com um simples toque na tela do celular, como se estivéssemos adicionando peso à bola, carregando-a de velocidade. No entanto, devemos tomar cuidado com os locais onde ela pousa e se choca, pois qualquer movimento em falso representa o nosso fim neste jogo.

Infelizmente leva tempo para nos acostumarmos com a jogabilidade do game, o que pode cansar num primeiro momento e assim que nos acostumamos com sua jogabilidade, podemos enjoar facilmente dele pela falta de diversidade presente no jogo.

É uma faca de dois gumes.

Mas ainda bem que o próprio game nos oferece formas de manter a jogatina viva, através das adaptações que o game nos oferece, seja na própria bola que percorre as dunas (podendo ser mudada para diversas formas) e até o cenário (que muda de cor e estilo).

Não é um jogo viciante, nem é um dos melhores que joguei esse ano, mas é interessante e vale a pena ser instalado para aquela jogatina rápida na fila do pão.